A Tempestade

Uma tempestade se forma lá fora

Os ventos fortes que fazem balançar fios, portões e telhas

É o mesmo vento que fala uma língua antiga

Que há muito tempo já se perdeu

 

Os relâmpagos a iluminam o escuro da noite

Enquanto os trovões conversam com os ventos ancestrais

E a chuva que começa fraca, como um sereno

De repente cai forte e banha tudo de uma única vez

 

Eu não me interesso em quanto tempo esta tempestade irá durar

De algum modo eu só quero vê-la se formar

E sentir o cheiro de terra molhada que ela trará

 

Eu nunca sei se ela é amiga ou não, nem por que sua força me atrai

Mas sei que a tempestade que cai lá fora – além de me lembrar olhos castanhos

Conversa diretamente com a tempestade que cai dentro de mim

(Visited 6 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *