Sobre Amor e outras drogas

Como Eu Te Vejo

Eu te vi

Esperando a condução provavelmente atrasada por causa do trânsito

E preciso dizer que você é linda

Demais

 

Eu agradeci aos céus por estar parado dentro de um ônibus vazio no meio do trânsito

Assim consegui te admirar por uns bons minutos

E sorrir como um bobo apaixonado

Que de fato, sou

 

Você estava ali, do outro lado da avenida

Com seus fones

Seu cabelo pintado

Sua blusa larga

E seus jeans surrados

 

Eu te vi

Sabia que não podia abrir a janela e gritar por você

Infelizmente, de nada adiantaria

Dessa vez tive que me contentar com pouco

E colocar para tocar, no meu celular, uma das suas músicas favoritas

 

E o trânsito fez menção de andar

 

Por dois metros prendi a respiração

Ainda tinha muito de você para ver

 

O trânsito voltou a parar

 

E como sempre acontece quando te olho

– Mesmo ao longe –

Prestei atenção aos seus detalhes

No desenho do seu rosto, das suas pernas

Na curva da sua boca, o formato do seu nariz

Da sua testa

Dos seios e das mãos

 

E em como eu consigo ver a sua energia fluir ao seu redor

Não que eu tenha algum dom especial ou queira falar difícil

Mas de alguma forma, eu consigo ver o que tem dentro de ti

Sei que você não acredita quando eu falo isso

Contudo é natural para mim em relação a você

 

Eu vejo as suas cores, a sua beleza tão única

A sua pureza que o mundo tenta sufocar

E a simplicidade nativa que me encanta e faz sonhar

 

Em te dar o mundo

 

Em ser tão exagerado como sou

– E com toda certeza te incomodar com isso –

 

Acontece quando te vejo

Quando estou com você

Quando estamos sem nos ver

Ou quando, por ego e infantilidade, brigamos e nos afastamos

 

No entanto, minha alma se entrega à sua, sendo livre

E isso não significa que estou abrindo mão de mim para viver por sua causa

Não.

 

Significa que, sendo solto, escolho partilhar contigo

O chá

A cama

O cachorro quente

E uma bebida

 

Eu te vi naquele ponto de ônibus do outro lado da rua

Sorri, de verdade

Xinguei por não poder descer e ir te falar

Que você é a pessoa mais graciosa que conheci

E que, como já mostramos um ao outro, todos temos defeitos e vacilamos de vez em quando

 

E tudo bem, pois nem sempre estamos plenos e conscientes

Sem paranoias, traumas ou medos

 

Eu te vi ali

E muitas felicidades passaram pelas minhas lembranças

 

E para mim, essa sempre vai ser a coisa mais próxima da perfeição que já pude encontrar

 

Sem procurar

 

Em como te reconheço e vejo sua luz

Sob todas as outras camadas

Você não tem noção do quanto é

E eu não posso mudar facilmente minha opinião

 

 

 

 

 

 

Eu te vi

Com sua roupa folgada e confortável

Com seu jeito próprio

O olhar fixo

E a mente com toda certeza a mil por hora

 

Fui dormir sorrindo

Por tudo que não sei dizer ou explicar

 

Na verdade, nada precisa ser explicado

Mas simplesmente vivido


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *