Faça Sua Boa Arte

Anos atrás, eu vi um pequeno quadro com a seguinte frase nele: “Feliz daquele que é professor. Em suas palavras, atitudes e conhecimento estão os alicerces para o futuro de outras pessoas, tão humanas quanto. Professores dão aula. Bons professores ensinam. Ótimos professores inspiram.”

Lembrei daquele quadro tão simples e amável, quando um dia desses, durante uma viagem para uma cidade pequena da Europa, encontrei na margem de um rio uma pequena garrafa transparente com um papel enrolado dentro e um pingente amarrado ao papel. O texto da carta me recordou do quadro,logo eu procurei o autor naquela cidade e o encontrei com certa facilidade, o autor, uma mulher já idosa me contou sua história e que havia escrito aquela carta quando tinha seus vinte e poucos anos para uma amiga que ela dizia não via a tempos. Ela me convenceu a te escrever esta outra carta, dizendo que de alguma forma ela a faria chegar até você.

Bem, aqui está. Na verdade, achei melhor te enviar a carta original dela, copiada claro, pois acredito que, de alguma forma, isso vá nos ajudar qualquer dia e ao menos te fazer pensar e sorrir, aí onde você está.

Então, como a autorame ensinou, repassando o que ela aprendeu com outra antes dela, te convido a relaxar e vir comigo.

Em um.

E dois.

E três.

 

 

Para Katie,

Mais um Janeiro se vai. As ruas continuam cobertas de neve e o ar frio do inverno começa a dar lugar ao frescor da primavera Europeia. As crianças ainda brincam na neve acumulada em todo o parque e ao redor de um lago, sendo o que devem ser, crianças.

Alguns adultos ensinam para as crianças mais velhas uma curiosa tradição: eles colocam uma carta numa garrafa e a jogam no grande lago para que a suave correnteza as conduza através dos rios afluentes e explicam que alguém sempre pega uma garrafa viajante e se quiser, vai atrás do dono da carta. As garrafas que não encontram um novo dono e chegam até a última cidade antes do mar, são recolhidas e levadas para um museu da cidade, eles permitem que algumas poucas garrafas atinjam o mar, para que sejam encontradas em algum outro lugar do mundo e não cause poluição.

Eles me explicam que existem apenas três regras nessa tradição. A primeira, que as garrafas devem ser lançadas no lago apenas na primeira semana de Fevereiro de cada ano; a segunda, que cada pessoa deve respeitar o intervalo de quatro anos para lançar uma nova garrafa e a última regra, de que a carta deve ser preenchida exclusivamente com histórias positivas, tanto faz se reais ou não, mas sempre devem ser histórias, reflexões positivas e com acontecimentos bons.

Passei o dia refletindo sobre a tradição das garrafas viajantes, pela noite, quando voltei para o hotel, não pude deixar de fazer uma analogia entre aquelas garrafas e de como a vida muitas vezes parece ser.

Olhando para trás, percebi, utilizando o jargão popular, que tudo que plantei foram as minhas garrafas para o mar da vida e o que colhi foram o retorno das garrafas.

Houveram garrafas que retornaram com bons frutos, as que trouxeram alguém especial, as que multiplicaram um sucesso e as que eu nunca soube onde foram parar, e outras com os insucessos, brigas e fracassos que na época eram difíceis de entender e aceitar, mas hoje servem para ensinar que nem todo projeto vai dar certo, nem todo amor será eterno e que ninguém pode ser dono do mundo. E ainda bem que é assim.

Reparei também que quanto mais garrafas eu lançava, mais garrafas retornavam e que foi preciso aprender a dizer não em muitos casos e que algumas boas garrafas nao vingaram na sua volta e tudo bem.

Então, eu te digo para continuar lançando suas garrafas com amor, cedo ou tarde elas retornarão para você e então você deverá ter bravura para realizar seja lá o que for e coragem para dizer não quando isso te atrapalhar, utilizando com sabedoria o tempo que lhe resta.

Tempo que nos resta… É engraçado como a maioria de nós perde a importância do tempo quando crescemos, deve ser por isso que os adultos, pessoas grandes cheias de importância própria invejam as crianças. Instintivamente os pequenos sabem que precisam aproveitar ao máximo que podem porque entendem que a vida é magica e boa e existe apenas o amor e um mundo cheio de aventuras para viver e coisas para se descobrir.

Logo, por que será que aceitamos trocar tudo isso por preocupações, preconceitos, inveja e impaciência no momento que ficamos mais velhos? Quem autorizou e assinou isso por nós? Acredito, minha amiga, que o Pequeno Príncipe sempre esteve certo, “as pessoas grandes não compreendem nada sozinhas, e é cansativo, para as crianças, estar toda hora explicando”.

Me faça um favor? Se acaso você ainda estiver dando aulas a crianças por aí, no Brasil, pode perguntar isso a elas? Crianças sempre tem boas respostas, e o melhor, simples e objetivas.

Ainda sobre o tempo, me lembrei de três conselhos que o escritor britânico Neil Gaiman deu durante uma cerimônia de formatura da Universidade de Artes da Filadélfia. O primeiro conselho: o sucesso pode te estagnar, não deixe de fazer o que você ama apenas por que precisa de dinheiro. O segundo conselho: permita-se cometer erros. Erros podem se tornar a porta aberta que você esteve lutando para encontrar. E o terceiro e mais importante conselho, o qual pode ser utilizado em muitas áreas e tornou este discurso dele tão famoso e amplamente divulgado: “Faça Boa Arte”.

Provavelmente esta seria a resposta das crianças “faça arte”, completada por “Se algo der errado, você ainda vai ter o que fez”.

E isso é uma verdade incontestável.

No seu caso, você que é professora, sua principal arte basicamente, é ensinar essas crianças. Não apenas gramática ou aritmética ou qualquer coisa da escola, mas sua arte se amplia em ser um exemplo, em ser uma referência. Quantas crianças já não disseram que querem ser como você quando crescerem? Eu sei que o dinheiro pode não ser muito, mas elas nunca te perguntaram sobre isso.

Sua arte é ser a heroína delas. Então, nos dias ruins e nos bons, faça sua arte. É sua melhor parte. Continue fazendo sua arte. Sendo uma heroína. E não apenas das crianças.

Você tem tantos outros talentos, menina, tantas artes dentro de si, continue mostrando isso ao mundo, ignore as críticas de quem no fundo queria ser você. O mundo é seu, leve sua arte e o mundo se levará até você.

E isso tem tudo a ver sobre como aproveitar o tempo, portanto não o desperdice, aproveite o tempo com a sua arte e você irá longe, mais do que acha que já foi.

Hoje o mundo não mais possui regras fixas, as regras que valiam ontem não valem para hoje, use isso a seu favor. Podemos fazer o que quisermos, basta ter coragem para agir e fé de que as garrafas retornarão. Precisamos nos tornar nossos próprios heróis e nisso Bowie sempre esteve certo, nós podemos ser heróis.

E eu te digo, bem mais do que apenas um dia.

Somos parte do mundo, é nossa obrigação deixá-lo melhor por estarmos aqui. Devemos deixar nossa arte para os que queiram vê-la, devemos deixar nosso exemplo de heroísmo por acreditar no impossível e ir além das expectativas mundanas, devemos continuar sorrindo e amando, coletando tudo o que for bom na caminhada.

Katie, hoje eu reaprendi que a vida é uma viagem naturalmente simples e boa, não vale a pena perder tempo se preocupando demais com tudo e todos, as vezes basta sorrir e cantar. Eu sempre esqueço disso quando você está longe, eu vou ficar mais um por aqui, mas espero, minha querida amiga, que nos encontremos novamente. Para fazermos nossa arte juntos e mostrarmos como heróis são de verdade.

Até lá, esteja onde você estiver, busque e conquiste, viaje, ame, dance, aprenda, seja boa com todos, cometa erros, jogue suas garrafas para a vida, sempre faça sua boa arte, seja a heroína que você é.

E até chegar ao céu, eu prometo fazer o mesmo por aqui. ”

 

 

 

Acho que é isso.

Eu gostaria que você pudesse ter lido isso antes de mim, talvez fizesse a diferença em algumas encrencas que nos metemos, enfim, talvez as encrencas nos ajudaram…

 

Agora, eu tenho que confiar que esta carta chegue até você. Eu te conheço muito bem, talvez mais que você. Então, espero que goste, coloque um sorriso no rosto, um livro na bolsa e se vista de fé, coragem e amor. O casaco do amor é sempre quente.

Ah, por favor, guarde este nosso último segredo:

Você conseguiu! Você se tornou uma pessoa incrível e realizou tantas coisas maravilhosas… E sim, tropeçou muitas outras também, questionou de suas capacidades e da sua fé, e também se estava no caminho certo a seguir.

Mas nós conseguimos, fomos mais que heróis e heroínas mais que um dia e fizemos nossa arte, mesmo sem entender assim.

Nossa profissão é uma arte, ensinar alguém é a maior arte de todas.

Acredite em mim, nós conseguimos.

E por mais absurdo que isso possa parecer, se estiver interessada em saber que eu sou, basta se olhar no espelho.

 

 

Pois eu sou você.

 

(Visited 28 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *