Sobre Amor e outras drogas

Verão – Sharona

Foram com tudo.

 

Se beijavam com vontade, como se o mundo fosse acabar em algumas horas e era preciso se divertir antes do fim caótico.

A excitação tomava conta do ar do apartamento enquanto as mãos iam tirando camisetas, abrindo cintos e pernas se entrelaçavam na direção do quarto enquanto risos soltos escapavam ao acaso quando tropeçavam nos sapatos sendo chutados dos pés.

 

Era ela quem comandava. O apartamento também era dela.

 

Jogou-o sentado na cama e se encaixou no colo dele, juntando e esfregando os troncos nus.

Parecia haver um acordo mútuo de curtir primeiro a parte cima com as mãos e línguas antes de explorar o resto do corpo um do outro.

Ela o deitou de costas para o colchão e o provocou antes de sair da cama e ir fechar a porta do quarto enquanto escolhia uma música no celular.

Dançou no ritmo da música enquanto tirava a calça e olhava atentamente para ele, que retribuía o olhar. Nua, caminhou de volta a cama, parou na beirada para tirar a calça que faltava e fez o que quis fazer.

Passeou subindo pelo outro corpo, sentindo sua a respiração um pouco ofegante e cada parte da pele quente, e de novo mandou e desmandou até se sentir satisfeita quando encaixou as pernas no rosto dele.

Ele a jogou na cama e fez sua parte, primeiro com as mãos, depois com o resto. Experimentou algumas posições entre leves puxões no feminino cabelo curto, entradas, saídas, reentradas e pressões em pontos estratégicos, das coxas a nuca.

Se apoiou na cabeceira, colocou-a por cima e acertaram um ritmo enquanto ela subia e descia segurando a cabeça dele contra seu peito e ele a incentivava ajudando nos movimentos do quadril dela.

Insaciáveis, fizeram e desfizeram naquele universo criado por eles. Experimentaram, curtiram, se divertiram livres e gozaram de liberdade e prazer. Até recomeçarem e finalizarem no banho.

 

Depois, cúmplices felizes e satisfeitos, jantaram, assistiram abraçados uma série qualquer na televisão.

 

Se olharam confortáveis vendo que o mundo não tinha acabado e riram decidindo o que fazer.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *